outubro 28 2019 0Comentario

Quem deve ter uma CNH especial?

A CNH especial é destinada para aqueles que possuem deficiência ou mobilidade reduzida. Isso inclui também, doenças que afetam suas funções cognitivas e motoras, prejudicando sua capacidade de dirigir.

Faz parte desse grupo, pessoas que sofrem com: escoliose, artrite, artrose, problemas graves na coluna e esclerose múltipla. Outras incluem: nanismo, amputação ou ausência de membros e uso de prótese interna ou externa.

Aqueles que já sofreram um AVC ou tem doença neurológica, pode se submeter a uma avaliação médica para conseguir tirar a CNH especial e conseguir comprar um carro adaptado. É importante saber que se você possui algumas das patologias descritas acima e não tiver habilitação especial, está sujeito a multas e perder o direito de dirigir.

Como tirar a CNH especial?

O processo para tirar uma CNH especial é bem semelhante ao processo para obter o documento comum. Além de ser indispensável ter completado 18 anos, são exigidos os mesmos documentos: RG, CPF e comprovante de residência.

A diferença é que a pessoa terá que passar por um exame físico e psicotécnico bem meticuloso, realizado por uma junta especializada de médias, credenciada ao Detran do estado. Os especialistas vão determinar se o indivíduo está apto a dirigir, sob quais condições e se é necessário algum tipo de adaptação do veículo.

Apesar do exame médico mais extenso, não há taxas adicionais por isso. O Detran de São Paulo, por exemplo, cobra o valor de R$ 62,19 para os exames médicos da primeira habilitação especial e R$ 84,81 para a renovação do documento (com a permanência das restrições já existentes).

Nesse processo, o importante é checar as clínicas autorizadas junto ao departamento de trânsito do seu estado. Para isso, o Detran disponibiliza em seu site a lista de clínicas, assim como a de centro de formação de condutores (CFC) credenciados.

A autoescola deverá ter o veículo adaptado conforme a necessidade do aluno para a realização das aulas práticas. De acordo com a legislação de trânsito, o aluno que está tirando a CNH especial deve cumprir as mesmas 45 horas aulas de direção para se submeter a prova prática.

O exame é o mesmo aplicado aos demais candidato, com o mesmo percurso e critérios de avaliação, conforme determina a legislação federal. A diferença é que um médico acompanha toda o percurso da prova para avaliar se o veículo utilizado atende às necessidades do futuro condutor.

Como mudar a categoria ao ficar com mobilidade reduzida?

Se você sofreu um acidente e perdeu parte da sua capacidade de mobilidade, deverá trocar a habilitação tradicional pela especial. Para isso, você terá que realizar novos exames médicos e realizar aulas práticas para PCD. Essa obrigatoriedade varia por estado, portanto, busque saber no Detran da sua cidade as regras.

Saiba que a nova CNH virá com uma letra, que varia de A a Z, no campo de observações. Cada uma dessas letras possui um significado (confira aqui todos os significados), como a letra H que indica a necessidade de conseguir acelerar e frear manualmente.

Outras indicam a necessidade de lentes corretivas, prótese auditiva, empunhadura no volante, adaptação nos comandos de painel e volante, restrições para motociclistas e aposentado por invalidez, entre muitas outras.

No geral, para tirar a CNH especial possui quase as mesmas regras para tirar CNH comum. Porém, as aulas práticas e teóricas são voltadas a atender as necessidades do futuro condutor.

Fontes: Auto Esporte e Mundo do Automóvel para PCD / Jhonatas Nascimento

 

Escreva uma resposta ou comentario